Pesquisa qualitativa realizada no Mestrado Profissional de Economia Criativa da ESPM Rio descreve uma nova tendência de comportamento familiar revelando que pais millennials – os nascidos entre o período da década de 80 até o começo dos anos 2000 – não abrem mão do que gostam de fazer e incluem seus filhos – geração dos alphas – em seus roteiros de entretenimento. Nesse sentido, os pais acabam se tornando fortes influenciadores culturais das próximas gerações. Outro ponto da análise mostra que os hábitos são reflexos do capital social dos pais e da família e da formação educacional. As práticas culturais – visita a museus, concertos, hábito de leitura, entre outros – e as preferências literárias, artísticas e musicais estão associadas ao nível de instrução e também à origem social. 

Assinado pelo publicitário e DJ Fábio Maia e orientado pela professora Lúcia Santa Cruz, o estudo durou dois anos e deu origem ao projeto de conclusão do mestrado Meu Filho, Meu Roqueiro: Análise de experiências culturais entre pais e filhos. O evento que transforma a dissertação em experiência acontece dia 31 de março, no Teatro Odisséia, no centro do Rio, e que traz bandas de rock com pais tocando junto com os filhos. 

“O mestrado profissional permite, além da dissertação, o desenvolvimento de um produto final, que é a materialização da pesquisa. Meu Filho, Meu Roqueiro mostra que os resultados de uma análise podem ser dançados, ouvidos, cantados e experimentados. ”  afirma Lúcia, que coordena o Laboratório de Pesquisa Lembrar da ESPM Rio.

O universo pesquisado foi a festa Baby Boom, frequentada por pais millennials e filhos alphas. A vivência conjunta e simultânea de pais e filhos em eventos que promovem a formação cultural revela o surgimento de um mercado consumidor potencial em bens culturais voltados para ambos e de grande valor para a Economia Criativa. Segundo autor, “No Brasil é praticamente inexistente o estímulo para que as famílias levem seus filhos pequenos para grandes festivais. É importante compreender novas necessidades, com base nas mudanças de hábitos e desejos. ” Fábio continua “Eventos como Baby Boom e Meu Filho, Meu Roqueiro viabilizam a criação de capital cultural para que a vivência de determinados valores seja partilhada. “

 

Sobre Meu Filho, Meu Roqueiro

O evento acontece dia 31 de março, domingo, dia da semana mais frequente em passeios com família, em horário matinê às 16h. Haverá show da Mr. Guns, banda cover oficial dos Guns’n’Roses no Brasil, Viohalley, que traz influência dos anos 80 no repertório, e a dupla Claudio&Yuri, pai e filho apresentando clássicos do rock internacional.  

Crédito Foto: Luciana Sposito  

 

Serviço

  • O quê: Meu Filho, Meu Roqueiro
  • Quando: 31 de março 
  • Onde: Teatro Odisséia – Av. Mem de Sá, 66 – Lapa
  • Horário: 16h
  • Quanto: R$ 30,00 ingresso inteiro e R$ 15,00 meia entrada para crianças até 12 anos. Bebês de 0 a 2 anos não pagam entrada.

 

PUBLICIDADE
COMPARTILHAR