Afinal, o que é mais importante para as empresas no século XXI?

O Brasil e seu cenário socioeconômico é um desafio para qualquer especialista, hora pela incerteza política, hora pela volatilidade econômica e suas vertentes. Empresas nascem, crescem, se transformam e muitas morrem dentro deste contexto. As dificuldades para abrir, manter e encerrar um negócio são enormes, com burocracia, taxas, impostos e mais impostos. Vencendo todos esses desafios nos deparamos com a força do mercado e a concorrência. Todos querem vencer, lucrar mais, ter as melhores estratégias e liderar seu segmento no mercado. Para que isso ocorra precisam de uma agência que mostre seus produtos e serviços, te posicione no mercado da melhor forma, que seja criativa e faça tudo acontecer com criatividade e inovação. Ah, a inovação, quantos querem e poucos pagam para ver acontecer! Quantos almejam e poucos tem coragem de realmente inovar. Durante minha vida profissional atendi desde pequenas empresas até multinacionais e uma coisa apenas me chamou a atenção. Dentro das empresas que conseguiram atingir seus objetivos e realmente foram inovadoras, eram todas aquelas que colocavam as pessoas em primeiro lugar. Alguém vai dizer, não é o investimento o mais importante? Um bom produto ou serviço? Uma ideia vendedora? NÃO!!! Pessoas, seres humanos, pessoas de carne, osso e coração, pessoas sim e elas são a parte mais importante de qualquer negócio pois elas pensam e sentem. E é bom lembrar que as pessoas não são robôs. O mundo corporativo é avesso ao sentimento e a autonomia no pensar, precisamos seguir as regras, claro! Mas, sem inteligência utilizada com sabedoria, e aí precisa ter sensibilidade, nada acontece de verdade. Viramos um amontoado de planilhas e números mortos. Mas as pessoas precisam ser ouvidas e é preciso respeitar a opinião de cada uma dentro das organizações. As pessoas precisam de atenção. As pessoas respeitadas criam um melhor ambiente de trabalho. As pessoas ouvidas melhoram seus próprios resultados. As pessoas que são vistas como pessoas e não como números, melhoram os números das empresas, pois cada um tem seu papel e ninguém quer ser visto como um número. O marketing de incentivo e a comunicação interna tem seu papel fundamental de construir pontes de valorização das pessoas nas organizações. A publicidade e a propaganda, o marketing e a comunicação externa são fundamentais em construir pontes verdadeiras com o target, de modo que ele possa ser ouvido e respeitado. Empresas tem sucesso garantido quando respeitam e ouvem as pessoas interna e externamente, mas isso só funciona se for de verdade. Em um mundo onde o poder está nas mãos do consumidor, atinge seu objetivo a empresa que conseguir ser verdadeira e esta jornada só é possível com a ajuda de uma agência que valorize as pessoas da mesma forma que você. Mario Mastrotti

PUBLICIDADE
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Informe sue nome