PUBLICIDADE

O IBOPE Repucom atualiza seu levantamento semestral sobre o alcance digital das seleções de futebol e destaca o crescimento das bases digitais de França, Brasil, Inglaterra, Portugal e Argentina. Como esperado, a Copa do Mundo deste ano foi fator chave para a exposição e desenvolvimento da base de inscritos nas redes sociais das seleções presentes no mundial de 2018. O crescimento das redes sociais somente das 16 seleções presentes nas oitavas de final da copa da Rússia, representou 80% do ganho total de novos inscritos no último semestre.

O título mundial conquistado pela França este ano teve grande impacto em suas redes sociais. A conquista do bicampeonato mundial impulsionou o ganho de inscritos e a F.F.F. liderou no volume de novos seguidores em todas as redes sociais. Foram mais de 4 milhões de inscrições na somatória de todas as plataformas, representando uma variação de 33% desde o levantamento de maio. Tal ganho impulsionou os “Les Bleus” a ultrapassarem a seleção inglesa (F.A.) e garantirem o terceiro lugar no ranking digital. No Instagram, plataforma onde a equipe francesa mais demonstrou sua força, o número de seguidores praticamente dobrou: foram 2,7 milhões a mais de usuários, o que representa 66% de seu desempenho total no período. Os franceses alcançaram outra marca de destaque, seu canal oficial no YouTube registrou um acréscimo de mais de 400 mil inscritos e, hoje, são a primeira e única seleção de futebol a alcançar a marca de 1 milhão de inscrições no YouTube.

A Seleção Brasileira de Futebol foi a segunda seleção que mais cresceu em volume com 2,4 milhões de novos inscritos e 13% de variação de crescimento em relação ao semestre anterior. A seleção canarinho segue no topo do ranking digital e ampliou sua distância do México, segundo colocado. Agora, há mais de 1,3 milhão de inscritos de diferença entre as duas seleções. Em maio essa diferença era de apenas 300 mil inscritos. No Instagram, a seleção foi a segunda que mais cresceu, foram cerca de 2 milhões de novos usuários.

A Inglaterra, quarto lugar na Copa de 2018, cedeu a terceira posição para a seleção francesa. Ainda assim, registrou o terceiro maior crescimento no semestre, somando mais de 2 milhões de novos usuários e 16,5% de crescimento. A seleção inglesa também se destacou no YouTube (+600 mil) e foi a seleção com o segundo maior ganho de inscritos nesta plataforma no semestre e se mantém como a segunda seleção com mais inscritos no mundo em seu canal de vídeos, atrás apenas dos franceses.

Portugal obteve desempenho modesto no mundial, mas logrou o quarto maior crescimento no combinado entre as plataformas. Foram cerca de 2 milhões de novos inscritos, o que a fez avançar duas posições e entrar pela primeira vez no TOP 10. A Argentina fecha o TOP 5 das seleções com maiores crescimentos absolutos, foram 1,7 milhão de novos seguidores, avançando uma posição no ranking e conquistando o 6º lugar.

A ausência de algumas seleções no mundial da Rússia refletiu no desenvolvimento de suas bases digitais, causando estagnação ou baixo crescimento de suas plataformas. São os casos de Estados Unidos e Itália que, com forte influência de suas não classificações, acabaram perdendo posições no ranking. A Itália cresceu cerca de 450 mil, porém, cai de nono para décimo lugar no ranking digital. Já, os Estados Unidos, que anteriormente estavam em 8º lugar, somaram apenas 2,5 mil novos seguidores e perderam 3 posições, deixando o Top 10.

A vice-campeã Croácia avançou cinco posições, foi do 27ª para a 23ª posição. Seu ganho deve-se principalmente ao Instagram, que corresponde a 60% de seu ganho total. A Rússia, sede do mundial, registrou uma das 5 maiores variações de crescimento com +76% e 708 mil novos adeptos, superando o crescimento da seleção da Bélgica, terceira colocada no mundial. Tal feito fez com que a Rússia avançasse 4 posições no ranking digital e entrasse no grupo das 20 seleções com maiores bases digitais.

A participação peruana na Copa do Mundo de 2018 teve reflexo positivo em suas redes sociais. Os peruanos obtiveram um desempenho superior a equipes tradicionais como Itália e Uruguai. Considerando todas as plataformas, os inscritos nos canais oficiais da F.P.F. cresceram cerca de 750 mil, um acréscimo de 25% referente ao primeiro semestre.

Confira o levantamento atual abaixo:

PUBLICIDADE