Entrou no ar na última quinta-feira, no CanAlvro, canal do jornalista Alvaro Leme no YouTube, um bate-papo com Bia Granja, CCO e co-fundadora do YOUPIX. A conversa rendeu grandes reflexões sobre as mudanças no formato de como as pessoas vão trabalhar no futuro. A convidada destacou que ainda estamos em um importante momento de transição. “Até 2020, 50% das profissões que existem hoje não vão exisitir mais, e as que vão existir ainda não foram criadas”.

Este foi apenas um dos alertas que Bia trouxe ao debate, destacando a velocidade das transformações que exigem um novo perfil de profissional preparado para assumir diferentes atividades. Apesar do tom de alerta, ela tranquiliza quem considera a tecnologia a culpada pela redução de vagas de trabalho. “Dá medo de os robôs deixarem as pessoas sem emprego, mas novas profissões vão surgindo conforme as antigas deixam de existir. Se você pensar bem, a profissão de carroceiro deixou de existir, mas as pessoas que faziam isso mudaram para outras.”

Profissões do futuro

E, de acordo com a experiência em seu trabalho no YOUPIX, Bia fez uma rápida previsão para dar exemplos do que está por vir. Como exemplo, cita atividades que podem estar em alta como operador de drones, controlador de tráfego aéreo de drones (gigantes como a Amazon já testam entregas com o aparelho em vez de via carro) ou treinador de robôs.

Ela observa uma ascensão de profissões ligadas a curadoria, enquanto saem de cena as que têm como característica o acúmulo de conhecimentos — afinal, cada vez mais haverá máquinas capazes de armazenar muito mais informações que o cérebro humano. Mais importante do que ter os dados é saber como utilizá-los. Exemplos de profissões com essa proposta: organizador de playlists (seja para empresas, eventos ou pessoas), personal unfriender de Facebook e administrador de grupos de WhatsApp (esta última ocorre aqui no Brasil, onde algumas pessoas pagam assinatura para participar de grupos em que recebem infos sobre temas de que gostam ou mesmo memes e piadas).

Alvaro questiona sobre as profissões que devem desaparecer e se arrisca a citar o operador de telemarketing. Bia traz uma reflexão bastante otimista sobre o tema, pois em sua opinião esta atividade não vai desaparecer porque os atendentes serão substituídos por robôs, na verdade, as pessoas não vão precisar mais desse atendimento. “Todos os processos dentro das empresas estão sendo altamente digitalizados, o que quer dizer que talvez você não tenha tanto que falar com gente de telemarketing, porque o serviço vai ser muito melhor. Você vai precisar, na verdade, de gerentes de dados.”

Habilidades exigidas do profissional do futuro

Bia Granja ainda elenca as habilidades que vão formar os profissionais mais eficientes no futuro às quais devemos dedicar atenção:

1. Ter mindset empreendedor, ser curioso e resiliente.

2. Entender que sua carreira não está mais numa empresa, que as profissões estão se dissolvendo.

3. Ser capaz de analisar criticamente o mercado, para identificar rapidamente oportunidades e mudanças.

4. Proatividade.

5. Saber se reinventar

6. Saber juntas pontas: talvez a profissão não esteja lá pronta na universidade, mas ela pode ser a união de vários talentos e aptidões.

Para conferir a entrevista na íntegra acesse o CanAlvaro no YouTube:

http://www.youtube.com/watch?v=dYSZDggq84E

Maratona CanAlvaro

A entrevista faz parte da maratona com vídeos diários durante todo o mês de maios no canal do jornalista Alvaro Leme, no YouTube. Além da apresentadora da Rede TV!, os internautas podem outras conversas reveladoras com nomes como Didi Wagner, Fiuk, Bia Granja, Pathy de Jesus, Luisa Mell, Paula Lima, Joyce Pascowitch, Ticiane Pinheiro, Luciana e Marcella Tranchesi, Julia Faria, Carla Pernambuco e André Lima.

O CanAlvaro é um canal dedicado a entrevistas com pessoas interessantes, com níveis variáveis de fama: vale tanto conversar com uma pessoa renomada num segmento específico, como culinária, quanto receber artistas conhecidos em todo o país.

Alvaro é Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, vive desde 2000 em São Paulo. Passou pela coluna Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, e pelas revistas Contigo!, Glamour, Veja e Veja São Paulo.

PUBLICIDADE
COMPARTILHAR